SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue1 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

    Related links

    • On index processCited by Google
    • Have no similar articlesSimilars in SciELO

    Share


    Ciência e Cultura

    On-line version ISSN 2317-6660

    Cienc. Cult. vol.55 no.1 São Paulo Jan./Mar 2003

     

    Centenário

    2003: O ANO PORTINARI

     

     

    O ano cultural de 2003 será marcado por uma série de eventos em comemoração ao centenário de nascimento do pintor Cândido Portinari (1903-1962). O Projeto Portinari, dirigido pelo filho do pintor, João Cândido Portinari, e que há quase 20 anos faz o levantamento, catalogação, digitalização e difusão da obra do pintor, preparou uma extensa agenda de atividades, iniciada com o lançamento oficial, em dezembro último, em parceria com o Ministério da Cultura.

    Nos meses de setembro e outubro, o Rio de Janeiro vai abrigar a "Exposição Retrospectiva", com cerca de 400 obras do pintor, depoimentos e textos explicativos, em três espaços, simultaneamente: Museu Nacional de Belas Artes, Palácio Gustavo Capanema e Academia Brasileira de Letras. Entre as obras selecionadas para a mostra, estão a tela Morro adquirida pelo Museu de Arte Moderna de Nova York em 1939, ano de sua última exposição no Brasil, e o painel Chorinho, que hoje pertence ao Museu de Arte Moderna de Lisboa e foi exibido no Brasil uma única vez, em 1943.

    Outra atividade importante, ainda sem data definida, é a exposição intinerante "Visões múltiplas ­ Portinari revisitado", a ser inaugurada no Museu de Arte de São Paulo (Masp), seguindo para Belo Horizonte e Rio de Janeiro. O Projeto Portinari pretende, ainda, remontar Baile na roça ­ coreografias para Portinari, em parceria com o Balé da Cidade de São Paulo, para dez apresentações em três cidades brasileiras. A estréia será no Teatro Municipal de São Paulo, seguindo para o Palácio das Artes, em Belo Horizonte, e Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

    Será publicado, enfim, um catálogo raisonné sobre a obra de Portinari. Este será o primeiro catálogo raisonné da América Latina. Além da edição desse catálogo, que é considerado a fonte de referência mais completa de um artista, está prevista a preservação, em arquivos digitais de altíssima resolução, do único registro visual existente da obra completa de Portinari, atualmente disponível apenas em slides, negativos e fotografias.

    PORTINARI PARA CRIANÇAS Mestiços, moleques, lavadeiras, operários, enfim, o povo brasileiro em sua essência, são alguns dos temas da pintura de Portinari retomados na peça infantil Portinari pé de mulato. A peça, foi encenada no Centro Cultural São Paulo em 2002, ano em que se completou 40 anos da morte do pintor, e seguirá itinerante em 2003.

    A peça é uma trilogia com obras dos modernistas Tarsila de Amaral, em A Cuca fofa, e Heitor Villa-Lobos, com o O trenzinho caipira, além de Portinari. Tem autoria e direção de Dario Uzam e é encenada pela Cia. Articularte. As três apresentações do grupo, para crianças a partir de 3 anos, utilizam técnicas variadas de manipulação de bonecos.

    Em Portinari pé de mulato, a obra do pintor ganha vida através da boneca Denise, uma pintura da neta de Portinari, que cai do quadro junto com seu carneirinho. Para voltar antes que a tinta seque e o pintor perceba o que ocorreu, a menina precisa recuperar o carneirinho que fugiu. Na busca, Denise percorre outras obras vivas de Portinari, como Café, Capataz, Retirantes, Cacau, Algodão, entre outras, interagindo, ao som de sambas e chorinhos cantados ao vivo pelos atores, com outros 25 bonecos que as representam. "Portinari pé de mulato, assim como as outras duas peças, não tem um objetivo para-didático, mas busca articular arte e teatro num nova forma de expressão com o público infantil", explica o diretor.