SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 número1 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

    Links relacionados

    • Em processo de indexaçãoCitado por Google
    • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

    Compartilhar


    Ciência e Cultura

    versão On-line ISSN 2317-6660

    Cienc. Cult. v.54 n.1 São Paulo jun./set. 2002

     

     

     

    BIOLOGIA I

    Coleção de microrganismos

     

    Minúsculos habitantes do meio ambiente vão compor uma coleção muito especial elaborada por uma equipe multidisciplinar da Unicamp. Trata-se da Coleção Brasileira de Microrganismos de Ambiente e Indústria www.cpqba.unicamp.br/cbmai, que reúne bactérias, fungos e arqueas, conhecidas antes como bactérias primitivas (arqueobactérias), coletados em pesquisas acadêmicas e aplicadas no País e integrantes de ambientes naturais da biodiversidade brasileira. A tarefa, a cargo de uma equipe de cinco pesquisadores do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA), é conseguir armazenar nos próximos dois anos de 2 a 4 mil linhagens desses organismos microscópicos, em condições que permitam melhor manter suas características e propriedades: estocados sob nitrogênio líquido (-196ºC), com viabilidade de mais de 50 anos, ou liofilizados (desidratados a vácuo) em ampolas, o que facilita sua distribuição. Tais técnicas mantêm os microrganismos em estado de dormência induzida, que se reverte com a adição de um substrato adequado de cultivo.

    O trabalho consiste na preservação com segurança de amostras microbianas selecionadas e caracterizadas, que indústrias e pesquisadores poderão dispor, quando precisarem de microrganismos específicos para uma determinada pesquisa, aplicação tecnológica, processo industrial ou ensaios de produtos. São amostras manipuladas de acordo com protocolos internacionais e um sistema de qualidade certificado pelas normas ISO e INMETRO. Junto com o acervo de material biológico, será montado um banco de dados, de acesso pela Internet, contendo toda a informação associada aos microrganismos da coleção, incluindo dados de caracterização taxonômica, imagens e links para outras bases de dados (e.g., sequências de DNA). A expectativa do coordenador da equipe, Gilson P. Manfio, é que tais facilidades e garantias convençam pesquisadores brasileiros a depositarem seus microrganismos em uma coleção brasileira, ao invés de enviá-los para coleções na Europa e Estados Unidos. “Hoje existe muito mais material originário de pesquisas depositado em coleções no exterior do que no próprio País”, lamenta.

    O Brasil abriga 43 coleções de pesquisa cadastradas no Centro Mundial de Dados de Microorganismos http://www.wdcm.nig.ac.jp, sendo que apenas 16 cedem material para usuários de outras instituições. As coleções prestadoras de serviço são poucas e abrigam principalmente acervos de microrganismos associados a doenças em humanos, animais e plantas. Já a da Unicamp, diz Manfio, será uma das raras coleções que atenderá aos interesses de pesquisadores acadêmicos e da indústria, com foco em microrganismos do meio ambiente, com potencial para aplicação industrial, serviços de caracterização taxonômica e identificação de microrganismos. Será, ainda, capacitada para armazenar plasmídios e material geneticamente modificado, de acordo com os requerimentos da legislação atual.