SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 número2 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

    Links relacionados

    • Em processo de indexaçãoCitado por Google
    • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

    Compartilhar


    Ciência e Cultura

    versão On-line ISSN 2317-6660

    Cienc. Cult. v.54 n.2 São Paulo out./dez. 2002

     

     

     

    GENES DO RELÓGIO

    As roldanas e os pêndulos dos ciclos biológicos

     

    Os seres vivos possuem relógios endógenos que marcam o tempo e podem ser regulados pelos fenômenos ambientais. O estudo dos relógios biológicos do ponto de vista conceitual já é bastante antigo, e ganhou um novo ímpeto nos últimos cinco anos com a descrição dos genes envolvidos na geração do tempo. Os chamados genes do relógio são bastante semelhantes em insetos, roedores e humanos e se constituem de alças de retroalimentação de genes e proteínas capazes de inibir a sua própria expressão.

    Os genes conhecidos como clock e bmal correspondem aos genes positivos e os genes per e cry são os que inibem a produção das proteínas CLOCK e BMAL. O ritmo de síntese destas proteínas é ao redor de 24 horas (circa – ao redor, diano = circadiano). Para que o dia seja mantido dentro do período de 24 horas, a síntese das proteínas do relógio é ajustada pelo ciclo claro-escuro. Neste ano, a revista Nature* publicou artigo onde foi demonstrado que várias células do organismo, incluindo os músculos esqueléticos e o coração, possuem relógios iguais ao central que, no entanto, tem o ritmo mais lento.

    O conhecimento dos diferentes genes do relógio e o funcionamento do relógio humano é um importante avanço e abre uma nova perspectiva para a Cronofarmacologia. Ou seja, a partir dessa descoberta, a administração de fármacos poderá ocorrer em horas do dia mais favoráveis ao organismo.

     

     

    * Storch et al., Nature 417, 2002, páginas 78-83